sábado, 23 de abril de 2016

Pisou-me nos pés



Pisou-me no pé.
Olhei-o furioso,
Ele me olhou, aborrecido.

E depois, Senhor, pus-me a pensar que não terá sido atoa
que saímos todos dois à soleira de nossa porta.
Já que ele bateu, faço questão de abrir-lhe com um sorriso.
Sorri.
Ele sorriu,
E, com um aperto de mãos, nos separamos.
Obrigado, Senhor, por have-lo encontrado.

Michel Quoist

*

2 comentários:

  1. Que linda poesia e foto! Valeu o encontro! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Uma poesia encantadora e uma foto muito bonita.

    ResponderExcluir