quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Quando me deixei tocar pelo Sagrado.



Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração!
Prova-me, e conhece os meus sentimentos!
Vê se não ando por um caminho fatal,
e conduze-me pelo caminho eterno.
Salmo 139 (138)


O Sagrado (O Senhor Deus) já havia me tocado, antes até de minha concepção e aos poucos foi envolvendo toda a minha existência de maneira imperceptível  na maioria das vezes. E com mais força em momentos especiais em que sentia mais a presença do Senhor atuando em minha vida, como também fez-me ver esta presença nos outros.



Contribuição para a BC Quando me deixei tocar pelo Sagrado, em comemoração dos 4 anos de aniversário do Blog Espiritual-Idade de Rosélia.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Dom Helder Câmara, minha homenagem.



Helder Pessoa Câmara nasceu a 07 de Fevereiro de 1909, em Fortaleza, Ceará, num anexo de uma escola pública cuja diretora era sua mãe, a professora primária Adelaide Pessoa Câmara. Seu pai, João Câmara Filho, foi jornalista e crítico de teatro.
Demonstrando vocação religiosa dede os 4 anos, Dom Helder ingressou no Seminário Diocesano de Fortaleza, em 1923, onde fez cursos preparatórios, Filosofia e Teologia. Foi ordenado sacerdote aos 22 anos de idade, mediante autorização especial da Santa Sé, por não ter a idade mínima exigida. No dia 16 de agosto de 1931, celebrou sua primeira missa.
Junto com amigos, fundou a Legião Cearense do Trabalho. Com lavadeiras, passadeiras e empregadas domésticas, criou a Sindicalização Operária Feminina Católica. Tornou-se uma espécie de Secretário da Educação do Estado do Ceará, contribuindo para a reforma dos métodos de ensino e para o desenvolvimento da educação pública no Estado.
Em 1946, recebeu convite para assessorar o arcebispo do Rio de janeiro e lançou-se com entusiasmo ao trabalho assistencial. Resultaram do seu empenho a Cruzada de São Sebastião e o Banco da Providência. Em 1952, nomeado bispo-auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Helder fundou a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), da qual foi secretário-geral por 12 anos, e contribuiu para a criação do Conselho Episcopal Latino Americano.
Foi nomeado, em março de 1964, Arcebispo de Olinda e Recife, e, dois dias depois do golpe militar, divulgou um manifesto apoiando a ação católica operária na capital. A reação dos militares foi imediata. Duas circulares acusaram o novo arcebispo de "demagogo" e "comunista". Dom Helder Câmara foi proibido de falar no Brasil, passou a aceitar convites para conferências e pregações no exterior. Ainda assim, estabeleceu no Recife um foco de resistência ao golpe militar. Este período muito tumultuado  resultou em atentados a bala à residência do Arcebispo.
Irrequieto, idealizador, fraterno e revolucionário, Dom Helder desempenhou importante papel no cenário religioso e social do país, contribuindo enormemente para realização de mudanças sociais. Além do mais, Dom Helder Câmara não foi decididamente um homem das elites, um príncipe da Igreja no que o termo tem de faustoso e pedante. Foi, sim, o príncipe pastor que, humilde e imbuído de seu incontestável amor pelo ser humano que o fez apascentar o seu rebanho, como pastor apaixonado que foi.
Em 7 de fevereiro de 2009, Dom Helder teria completado 100 anos, se estivesse vivo. Esta data foi amplamente comemorada por entidades cristãs e sociais com atividades para homenagear a sua memória. Hoje, 27 de Agosto estamos lembando seu falecimento desta Terra que ocorreu em 1999. 
  



Que importa, se ao chegar

Que importa, que ao chegar
eu nem pareça pássaro!
Que importa se ao chegar 
venha me rebentando
caindo aos pedaços,
sem prumo
e sem beleza!...
Fundamental!
é cumprir a missão
e cumpri-la
até o fim!...

Dom Helder Câmara

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Santa Rosa de Lima - 23 de Agosto


(1586-1617)

Isabel Flores, filha de imigrantes espanhóis estabelecidos no Peru, cognominada "Rosa" pelo frescor de seu rosto, desde a adolescência inscreveu-se na ordem Terceira dominicana. consagrou a vida cuidando dos pobres. Levou uma vida de extraordinária penitência e intensa piedade eucarística e mariana. Favorecida com singulares dons místicos, especialmente nos últimos anos, morreu em Lima aos trinta e dois anos, após agudos sofrimentos, edificando o casal junto a quem vivia. É a primeira santa canonizada do continente americano.

(Missal Cotidiano, 1985.) 

domingo, 18 de agosto de 2013

Palavras do Papa Francisco na JMJ


* Durante estes dias, aqui no Rio, vocês puderam fazer a bela experiência de encontrar Jesus e de encontra-lo juntos, sentindo a alegria da fé. Mas a experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história. (cf. Rm 10, 9)


* Levar Cristo ao coração do mundo. Trazer o mundo ao coração de Cristo.


* Nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança.


* Deus não pode fazer nada com as nossas obras, se não possuir o nosso coração.


* Deus dá as batalhas mais difíceis aos seus melhores soldados.


* O aborto nunca é uma solução. Ao falar de uma mãe grávida, falamos de duas vidas, e ambas devem ser preservadas e respeitadas, pois a vida é de um valor absoluto.


* Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade Divina, quem sou eu para julgá-la?


* Foi uma bela viagem: espiritualmente me fez bem. Estou cansado, bastante, mas com o coração alegre... estou bem, me fez bem espiritualmente.


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Salmo para meditar






Salmo 24, 14-18


Procuro para qualquer coisa a ajuda do Senhor e ele me salva do perigo.
Olhe para mim, meu Deus, e seja misericordioso comigo, pois estou só e fraco. 
Alivie-me de minhas preocupações e livre-me de todos os meus problemas. 
Veja a minha angustia e o meu sofrimento e perdoe todas as minhas faltas.



*

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Santa Teresa Benedita da Cruz ( Edith Stein )


Edith Theresa Hedwing Stein
* Breslau, 12 de Outubro de 1891
+ Auschwitz, 9 de Agosto de 1942




 Foi uma filosofa e teóloga alemã. De origem judia, converteu-se posteriormente ao catolicismo, tornando-se carmelita descalça. Primeira mulher a defender uma tese de Filosofia na Alemanha, foi discípula e depois assistente de Edmund Husserl, o fundador da fenomenologia. Faleceu aos 51 anos, no campo de concentração de Auschwitz. Em 11 de Outubro de 1998 foi Canonizada pelo Papa João Paulo II, como Santa Teresa Benedita da Cruz.
Sua festa litúrgica é celebrada no dia 9 de agosto.




Na Segunda Guerra Mundial, ofereceu a própria vida para defender seu povo da perseguição nazista que vitimou milhares de compatriotas nas horríveis câmaras de gás dos campos de concentração.

No dia 1 de Outubro de 1999, Papa João Paulo II proclamou Santa Teresa Benedita da Cruz, co-padroeira da Europa pelo particular contributo cristão que outorgou não só a Igreja Católica, mas especialmente à mesma sociedade européia através do seu pensamento filosófico.



"Desde já, aceito a morte que, em submissão à sua vontade, o bom Deus reservou para mim. Que Ele se digne acolher minha vida e minha morte... em expiação pela incredulidade do povo de Israel, pela salvação da Alemanha e do mundo". 

(Wikipédia)

domingo, 4 de agosto de 2013

São João Maria Vianney - Dia do Padre


 Nascido perto de Lião, cresceu durante a revolução francesa. Após grandes esforços e dificuldades, conseguiu chegar ao sacerdócio em 1815, tornando-se, três anos depois, primeiro pároco de Ars. Animado de grande desejo de ser um verdadeiro pastor, bom de caráter, simples, humilde e sincero, com extraordinária capacidade de sacrifício, converteu primeiro sua paróquia, outrora indiferente, transformando-a numa comunidade exemplar. Por um período de quarenta anos, Ars tornou-se um centro de atração. um público inumerável da Europa e América cercava-lhe cada vez mais o confessionário, pedia conselho ou uma palavra de luz e conforto. Com extrema simplicidade de meios, sua pastoral teve uma insuperável eficácia; sua pregação convertia e fortalecia a fé e a vida cristã. A força de sua ação sacerdotal provinha do testemunho de sua vida pobre, penitente, toda feita de fé, caridade, doação e dos dons carismáticos que Deus lhe concedia. Morreu extenuado aos 73 anos. Pio XI canonizou-o em 1925 e em 1929 proclamou-o patrono dos párocos.

(Missal Cotidiano, 1985.)