sábado, 21 de abril de 2012

Meditemos com os Poemas de Dom Helder



Perdoa, mão esquerda


se, eternamente, és segunda...

Faz-me bem
a simplicidade com que acorres ao menor aceno
da mão direita, tua irmã,
e como estás distante
de ressentimentos e mágoas,
complicações e complexos...

Dom Helder Câmara
         

Não foi sem razão

certamente não foi
que, à abelha,
com o mel,
deste o ferrão,
e a rosa,
com o perfume,
deste o espinho...
Nem sei
se, sem ferrão
a abelha seria abelha
e, sem espinho,
a rosa seria rosa...

Dom Helder Câmara



Gostaria de subir



à torre da Matriz

para estudar de perto
os sinos
e ver, e descobrir
o que dá
a cada um
seu som inconfundível
e o que dá
ao conjunto
a impressão harmoniosa
difícil de esquecer.
A escada é íngreme
e interminável...
Mas terei que subir
_ sou sineiro das almas
e de cada uma
e de todas
gostaria de arrancar
os sons
mais agradáveis ao Senhor.

Dom Helder Câmara

Um comentário:

  1. Olá Maria!!!
    Agradeço sua participação e venho retribuir a gentileza.Gostei muito dos versos, o primeiro de D.Helder, sobre as mãos, achei interessante...E que coisa, eu sou canhoto, e diziam que canhoto era contra Deus...bobagem né? Sucesso sempre amiga!!!Um grande abraço!!! Rubi.

    ResponderExcluir