segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

domingo, 9 de janeiro de 2022

Batismo do Senhor - 2022






Jesus se apresenta na humildade e com a determinação de cumprir a vontade salvífica do Pai. No batismo, solidariza-se com o pecado do mundo e assume assim o papel do servo do Senhor. Sua missão é sintetizada   por Pedro em dois aspectos: libertar do demônio e perdoar os pecados. Jesus, que foi enviado por Deus para salvar a tudo e a todos, desempenha sua função com firmeza e êxito, tornando-se ele mesmo luz das nações e aliança entre Deus e os homens. O relato do batismo de Jesus é revestido de múltiplos traços messiânicos, proféticos, expressando com isso que os tempos anunciados e prometidos chegaram, agora é a hora da graça, da libertação. Com isso, há uma referência também ao batismo que nós recebemos, nascido do próprio Jesus como desta nova etapa da História. No batismo renunciamos ao demônio, ao pecado, a tudo aquilo que nos desune e assumimos a fé em Cristo, no Pai que o enviou, na Igreja que ele inaugurou, no Espírito que ele nos enviou. Podemos dizer que nele somos filhos amados em quem o Senhor se compraz. Resta-nos fazer nossa parte, viver a fidelidade a toda prova realizando em Jesus, com ele, nossa missão de libertação do mundo. somente nele é que seremos libertadores de todo o pecado.
***



1. Como você procura viver o batismo que recebeu?

2. Você se recorda dos compromissos assumidos no seu batismo?

3. Renove hoje as promessas do batismo e assuma de maneira nova e renovadora sua missão no povo de Deus.

4. Procure recordar e celebrar o dia do seu batismo, o local, o celebrante, os padrinhos.

(Texto da Agenda Bíblica, 1993.)

domingo, 2 de janeiro de 2022

Epifania - 2022

 

 Evangelho: Mt 2, 1-12



"Deus se revela a nós à medida que lhe entregamos o melhor de nós. Os presentes dos Magos indicam quem é o menino recém nascido. Oferecem ouro porque ele é rei, incenso porque é Deus e mirra porque dará a vida na cruz. É fundamental a atitude de buscar a Deus na sinceridade de coração, para podermos reconhece-lo tal como ele realmente é. E a alegria de encontra-lo no rosto de nossos irmãos, sobretudo dos irmãos menores e indefesos. Porque, para revelar-se ao mundo, Deus escolheu revelar-se ao nosso coração."

Pe. Paulo Bazaglia, SSP 

*